Em jogo de fortes emoções, Argentina “sangra”, mas segue viva na Copa

Kaique Vieira

Após um verdadeiro teste para cardíaco para os “Hermanos”, a seleção de Jorge Sampaoli, pressionado técnico argentino, conseguiu uma vitória suada sobre a Nigéria na última rodada do grupo D. Precisando da vitória e ainda torcer para a Islândia não ganhar, a Argentina se lançou ao ataque logo no começo da partida.

Aos 14 minutos do primeiro tempo, Lionel Messi deu o primeiro passo para a classificação para delírio de Maradona que acompanhava a partida em São Petersburgo e para a grande maioria dos torcedores no estádio. O gol de abertura do placar também foi o centésimo desta copa.

Mesmo com a vantagem no placar, a Argentina seguia desorganizada como nas partidas anteriores. Logo no início da segunda etapa, Mascherano fez um pênalti infantil, apontado pelo árbitro de vídeo. Convertida a penalidade, a Argentina ficava de fora da copa do mundo. Foi então que a albiceleste começou a partir para o ataque desorganizadamente deixando espaços para os africanos nos contra-ataques.

A equipe de Sampaoli começou a apostar em triangulações pelas laterais do campo com Mercado e Tagliafico, já que o técnico da Nigéria dificultou as ações da Argentina pelo meio. O jogo seguiu disputado, e o “vilão” Javier Mascherano foi a marca de um time que se não era um primor tático, ao menos sobrava raça e disposição.  Na marca de 22 minutos do segundo tempo, o volante argentino cortou o supercílio e sangrou durante o jogo inteiro. O arbitro turco Cakir ignorou, e seguiu a partida.

Diante da pressão e do desespero da Argentina, a seleção nigeriana passou a apostar na velocidade dos contra-ataques. Aos 30 minutos do segundo tempo, Musa cruzou para Ighalo que conclui para fora. O lance gerou reclamação por parte dos nigerianos que alegaram mão na bola do zagueiro Rojo, mas o juiz negou a penalidade depois de revisão no VAR.

Nos minutos finais da partida, quando Maradona se descabelava na área VIP, Mercado avançou pela direita encontrando Rojo que acertou um sem pulo indefensável para o goleiro nigeriano. Era o gol da classificação e da euforia de Maradona que se descontrolou, mostrou o dedo médio para alguns torcedores e ainda foi levado ao posto médico da Arena Zenit depois de uma queda de pressão.

Passado o sufoco, a seleção de Lionel Messi concentra as atenções para o próximo duelo diante a badalada França no sábado, as 11hrs (horário de Brasília) em Kazan pelas oitavas de finais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s